Quando se fala em emoções, elas podem vir a qualquer momento e, na maioria das vezes sem a gente esperar, como: alegria, tristeza, medo, raiva, entre outras. Não podemos controlá-las, mas “sim” controlar as “reações” em relação a “intensidade e tempo”. Para exemplificar, em um ambiente de trabalho onde o seu líder por algum motivo fica nervoso, levanta da cadeira e grita com toda a equipa, com toda a área, ou com você, na verdade considero um “chefe” pessoas com essa atitude, isso seria a “intensidade” e com relação ao “tempo” é esse mesmo líder por causa da situação ficar com raiva o dia todo, a semana inteira, o mês inteiro, gerando desconforto entre as pessoas.

          E para gerenciar melhor essas reações em relação a “intensidade e tempo” uma das dicas começa pelo “autoconhecimento”, identificar ou saber o que pode afetar emocionalmente com antecedência e o que você não espera. É importante estar preparado e consciente. Ter uma visão de tudo e do todo, como diz a frase do pensador Jose Saramago “É preciso sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós”, essa frase nos leva a reflexão no sentido de se projetar, sair de nós, sair de cena, se observar de fora, observar nossos pontos fortes, pontos de melhorias, analisar o que pode nos alterar e afetar emocionalmente, ter a percepção das competências necessárias para melhor gerenciamento das nossas reações frente as emoções.

          Desenvolver competência emocional não é tão simples, requer esforço e comprometimento, mas a dica como citado no texto é começar pelo autoconhecimento e, praticar no dia a dia, ou seja, quando perceber uma emoção como exemplo medo ou raiva com antecedência ou não, procurar controlar a “intensidade e o tempo”, evitando desta forma situações de desconforto consigo mesmo e junto as pessoas.

Claudio Luvi

Palestrante Comportamental; Mentor de Liderança; Experiência 23 anos em RH.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *