“No more business as usual é uma perspetiva onde escolhemos não ficar inibidos e restringidos pelos paradigmas comerciais convencionais ou confinados aos modelos padrão já conhecidos no mundo dos negócios. Requer, pelo contrário, vontade de gerar visões, estratégias, ideias e ações que não se enquadrem nos padrões sobre os quais construímos o nosso sucesso anterior.” Gary Douglas.

Então, sob este novo prisma, de que maneira o profissional de RH poderia tornar-se no catalisador da mudança dentro das organizações no atual contexto global? Como agir no meio de tantas incertezas? Como gerar essas novas visões com total confiança? 

Eis aqui algumas ferramentas para refletir:

  1. A realidade contextual limita o alcance do potencial do seu negócio ou carreira

A realidade contextual é uma realidade onde só se existe no contexto ou em relação a alguma outra coisa. É onde está sempre a tentar “encaixar-se” na estrutura daquilo que todos os outros acreditam ser a realidade. A realidade contextual exige que esteja num estado constante de julgamento porque decidiu que a realidade contextual é maior ou tem mais relevância do que o seu próprio SER.

  • O seu ponto de vista cria a sua realidade

Os seus pressupostos e pontos de vista sobre o seu negócio ou carreira determinam a forma como o cria, como o opera e como se relaciona com ele.

A forma como percebe, julga e reage aos acontecimentos ao longo do dia (e em particular àqueles que vivemos atualmente) é baseada nos seus pressupostos e pontos de vista, que acabam por moldar aquilo que vivencia. Olhe para uma situação actual da sua vida e pergunte:

– Que pontos de vista tenho, que criaram a minha vida e/ou a minha carreira da forma como eles são?

Por exemplo, tem a mentalidade de que é preciso lutar e tratar os outros como concorrentes ou opta por se concentrar na contribuição que pode ser para sua organização, para a comunidade, para a sociedade e para o mundo em geral?

Quando escolhe se concentrar em ser uma contribuição, tudo é uma possibilidade infinita, porque funciona a partir de um lugar de generosidade de espírito, consciência e alegria.

Ser uma contribuição como profissional de RH implica funcionar a partir de perguntas, em vez de julgamentos. Por exemplo, numa situação que requeira sua atenção (repare que não chamei a situação de problema porque ao fazermos isso já estamos a julgar), pergunte:

– Que contribuição eu posso ser aqui?

– Será que esta é uma contribuição para a minha organização, para os nossos clientes, para todos os interessados e para o mundo em geral?

– O que posso eu escolher aqui?

  • Contribuição é ser, não fazer. Escolher ser uma contribuição é a diferença entre sobreviver e prosperar.

Quando funcionamos a partir da energia da contribuição, as coisas juntam-se rápida e facilmente – tudo se encaixa instantaneamente.

No entanto, aqueles que ficam ancorados no ponto de vista habitual, podem dizer coisas como: Onde é que eu me encaixo? Onde é que eu ganho? Onde é que eu perco? Procura ver o que os outros que trabalham em áreas semelhantes estão a fazer, e tentam competir com eles. “Eles acreditam que há uma oferta de trabalho escassa e que as oportunidades são limitadas”.

A realidade contextual cria um mundo de julgamentos e crenças. Assim, os líderes empresariais prendem-se a essa realidade. Muito raramente consideram outro contexto ou perguntam:

– “O que mais é possível (desde uma perspetiva de algo mais grandioso)?

Quando os líderes criam os seus negócios tentando entrar em contexto com tudo o resto, não há PERGUNTA, não há ESCOLHA e não há outra POSSIBILIDADE.

  • Tome consciência da situação em que se encontra:

As pessoas geralmente não estão conscientes de que têm uma variedade de crenças e pontos de vista baseados na realidade contextual. Como resultado, não se apercebem que estes pontos de vista afectam o seu comportamento como profissionais. Não importa quanto treino de liderança tenha, se não se libertar desses pontos de vista e crenças, o seu negócio ou carreira não vai realmente prosperar. As suas crenças limitantes terão poder sobre a sua percepção e consciência.

Se está a sentir dificuldades ou uma limitação no seu negócio ou carreira, deve haver algo que tenha bloqueado a sua percepção.

Na verdade, se alguma coisa na sua vida não está a funcionar, é porque não está disposto a PERCEBER, SABER, SER E RECEBER alguma coisa.

No entanto, quando funciona a partir da sua consciência, é capaz de perceber e receber as mudanças, positivas e negativas, que podem afectar a sua organização e o mundo.

Confie na sua capacidade de responder a essas mudanças de forma tão consciente e hábil quanto necessário. Veja-se a ter este tipo de intensidade de consciência como uma possibilidade real, imagine o que poderia criar com o seu negócio.

Se está disposto a perceber, saber, ser e receber, nenhuma das coisas que o prendem a esta realidade pode existir.

Sinta gratidão pelo passado e curiosidade pelo futuro.

O que seria necessário para você parar de criar o seu negócio ou carreira de acordo com a realidade contextual e reconhecer que tem uma escolha diferente?

Acabar com a forma habitual de fazer negócios não é um acaso: é uma ESCOLHA.

Esther Liska

Mentor & Coach em Liderança Consciente | Autora | Oradora Internacional | CEO Glow Woman Club

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *