Inúmeros profissionais se encontram nas estatísticas de baixo engajamento, no entanto muitos deles são profissionais de elevada competência, muitos inclusive vem de registos excelentes a nível de resultados na organização. Segundo a pesquisa feita pela Gallup em 2021, estima-se que apenas 21% dos colaboradores no mundo estão engajados, isto demonstra o quão frequente e muitas vezes intrigante é o tema do employee engagement. O que muitos desconhecem é que Employee Engagement e Gestão de Energia estão intimamente relacionados.

Employee Engagement ou Engajamento ou Envolvimento dos colaboradores, pode ser entendido como compromisso emocional que o colaborador tem para com a organização e seus objectivos, assim um colaborador engajado, faz o que precisa ser feito para ser bem-sucedido na sua função, sem necessitar que lhe seja solicitado.

The Energy Project, empresa americana voltada para Gestão de energia, descreve a gestão de energia como sendo a intercepção entre well-being e alta performance.

Segundo a Gallup, Engajamento e Well-being interagem de maneiras poderosas, sendo a gestão energia focada no bem-estar dos colaboradores, ela é um veículo poderoso e indispensável para estimular maior engajamento nos colaboradores, equipas e líderes.

Employee Engagement e Gestão de Energia estão intimamente relacionados.

Para tudo o que fazemos, precisamos e despendemos energia (capacidade produtiva). Por ser em nós mesmos onde se faz o desenvolvimento, recarga e reserva de energia, precisamos capacitar a nós mesmos, equipas e colaboradores na aplicação das técnicas, dinâmicas e rotinas que nos permitam gerir de forma eficaz a nossa energia.

Para estarmos engajados de forma consistente, duradoura e verdadeira, precisamos ter nosso pilar físico, emocional, mental espiritual fortes. Assim é muito importante que se faça com frequência a análise do nível de energia dos colaboradores, para que se possa continuamente dar suporte ao que constantemente é consumido, nossa energia, junto com os resultados da pesquisa dos níveis de energia, capacita-los para que sejam capazes de gerir de forma eficaz as suas própria energia.

Para tudo o que fazemos, precisamos e despendemos energia

A gestão de energia é um virar do jogo onde em respeito a individualidade, não apenas a empresa se preocupa com o bem-estar, mas capacita seus colaboradores do topo a base, dando-lhes as ferramentas e técnicas para

estarem atentos e cuidarem do seu bem-estar, uma vez que o que funciona para um pode não funcionar para o outro.

Esse cuidado contínuo, é o que permite maior engajamento, de outra forma como poderá dar entrega e o seu melhor se não está no seu melhor?

O capital humano é o maior activo das organizações, você é o seu maior activo, a que cuidar de forma regular deste activo se quisermos mantê-lo com elevados níveis de engajamento.

Jezreel Madiwano, Consultora de Capital Humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *