Ouvimos com frequência falar de objetivos. São importantes pois orientam a direção do OBJETIVO COMUM. Após definir-se o OBJETIVO há que partilhar as REGRAS DE JOGO que sendo apoiadas pelos VALORES, clarificam os PADRÕES DE COMPORTAMENTO que pautam os relacionamentos internos.

Quando o OBJETIVO, as REGRAS e VALORES estão alinhados o processo de humanização é, apesar de complexo, mais simples. O processo deverá contemplar fases perfeitamente definidas e alinhadas com a evolução das competências necessárias.

Os VALORES constituem assim escolhas estratégicas deliberadas e preferenciais. A PREOCUPAÇÃO GENUÍNA pelas pessoas sejam colegas, clientes, fornecedores ou concorrentes; a CRIATIVIDADE, que promove a responsabilidade na escolha de soluções criativas; ou o RESPEITO PELO AMBIENTE que projeta a imagem da empresa… são exemplo de valores. Assim, a comunicação e a capacidade de relacionamento são competências a desenvolver para assegurar que há preocupação genuína com os outros. Técnicas como brainstorming deverão ser implementadas para se desenvolver e encorajar a criatividade. A consciencialização sobre a importância de atitudes sustentáveis deverá fazer parte do plano de ações.

A clarividência norteia e assegura o compromisso e a motivação ao permitir que haja uma consciência da mudança a fazer. A mudança de comportamentos é assim humanizada e sustentada… pois tal como diz o proverbio alemão “mudar e mudar para melhor são duas coisas completamente diferentes”.

Por: Olga Gonçalves, Especialista em sistematização de Processos Comerciais, Produtivos e Gestão de Equipas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *